Cooperando e crescendo com você



Mercado da soja volta a subir na tarde desta 6ª feira na Bolsa de Chicago

Na próxima semana, o mercado também acompanha as reuniões dos times de alto escalão da China e dos EUA na capital americana


Os preços da soja atuam com leves altas na Bolsa de Chicago no início da tarde desta sexta-feira (4). As cotações subiam entre 2,25 e 3,50 pontos nos principais contratos, por volta de 12h55 (horário de Brasília). Dessa forma, o novembro/19 tinha US$ 9,15 e o maio/20, referência para a safra do Brasil, valia US$ 9,48 por bushel.

O mercado atua com bastante cautela nesta última sessão da semana, mesmo com as boas notícias dos últimos dias.
Ainda segundo analistas internacionais, os traders já começam também a se posicionar à espera dos novos números do boletim mensal de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) da semana que vem.

Na próxima semana, o mercado também acompanha as reuniões dos times de alto escalão da China e dos EUA na capital americana. As delegações voltam a se encontrar para retomar as conversas e negociações em torno da guerra comercial.

Ademais, é mantida ainda a atenção ao andamento da colheita nos EUA e às condições adversas de clima para os trabalhos de campo no Meio-Oeste americano neste momento. Além do quadro climático ruim, as primeiras produtividades que vêm sendo registradas são baixas, como já se esperava.

"A soja e o milho que estão no noroeste do Corn Belt enfrentam uma séria ameaça do tempo muito frio, que prejudica a conclusão da safra. As previsões de geadas para esta sexta-feira se estendem do Noroeste do Kansas ao oeste de Minnesota, de acordo com os modelos climáticos americanos", diz Bryce Knorr, analista sênior do portal Farm Futures. E os modelos europeus confirmaram o frio das últimas 24 horas.

Aos poucos, os traders se voltam também ao início do plantio no Brasil e às condições de clima em que se desenvolve.

https://www.noticiasagricolas.com.br/

Publicado em 04/10/2019


COPERACEL 2017